UFRJ deixa funcionário terceirizado sem receber no Alojamento.




       O avanço na política de privatização nas universidades levou a UFRJ a “descartar” aqueles funcionários que não era tido como finalidade fim da universidade. Nesta lógica não se fez mais concursos para segurança do campus, porteiros, funcionários da limpeza, coopero e tantos outros funções importantes. Expressão deste processo de desmantelamento da universidade entra em cena a figura do terceirizado. Que faz parte das nossas vidas do primeiro dia de graduação até a entrega do diploma.
     No Alojamento alem processo de trabalho terceirizado, os quais muitos estão submetidos, os funcionários que trabalha no “Lanche” estão submetido a precárias condições de trabalho. Neste momento os funcionários da empresa Projebel estão sem receber deste do inicio do mês. Não receberam o ticket refeição e nem o salário previsto para o dia 05 de Dezembro.
    Queremos aqui colocar esta questão para a comunidade universitária. Não é novidade que os terceirizados por varias vezes ficam sem receber e não é novidade as precárias condições de trabalho dos mesmos na UFRJ, em especial no Alojamento da Universidade do Brasil. A reitoria da universidade continua fazendo vista grossa a essas condições e a permanecia desta condições é de inteira responsabilidade da mesma que não faz as devidas exigência para que estas empresas continuem funcionando dentro da universidade. Este é apenas mais um capitulo da rotina da vida dos   terceirizados na UFRJ.
  Magnífico reitor esperamos que use da sua autoridade para minimizar o problema! Exigindo os pagamentos em dias dos terceirizados. Minimizar pois só se resolver o problema fazendo concursos públicos para estas funções.  

2 comentários:

Anônimo disse...

Eu trabalho no HUCFF, a empresa PROJEBEL trata todos os prestadores de serviços como escravos terceirizado ate a data de hoje nem a 2º parcela do decimo terceiro ainda não foi paga, e a reitoria será que não sabe desse abuso trabalhista. O representante dessa empresa nada mais e que o irmão do diretor da DAG senhor Paulo Sérgio.

Lucas augusto disse...

trabalho na empresa J E Paulino da costa de porteiro estou sem salario e dois meses e se pasagem e alimentacao o incrivel de tudo isso e que ninguem fala nada deixam essas empresa que nao pg os fucionarios e ficam po isso mesmo ja pedi demisao e nunca mais trabalho pra ufrj na minha vida perdi muito tempo em empresa que nao pg o salario dos trabalhadores teserizados