Eleição para reitor - Pergunta da semana

PDF Imprimir E-mail
Jornal da Adufrj
No último dia 16, o reitor Aloísio Teixeira anunciou na Rádio CBN que irá terceirizar a utilização do espaço retomado pela universidade, durante anos indevidamente ocupado pela ex-casa de show Canecão. A retomada deste patrimônio deve-se em grande parte à mobilização da comunidade universitária e seus movimentos sociais que, desde o ano passado, antes mesmo da reintegração do terreno e do prédio à UFRJ, discutem formas de utilização acadêmicas e culturais públicas para o local. Por esse motivo, perguntamos aos candidatos:
Em sua gestão, qual será o destino do ex-Canecão e como será feita a administração deste patrimônio da universidade pública?
Cada chapa teve até mil caracteres (com espaços, no contador do word) para formular sua resposta.
No último dia 16, o reitor Aloísio Teixeira anunciou na Rádio CBN que irá terceirizar a utilização do espaço retomado pela universidade, durante anos indevidamente ocupado pela ex-casa de show Canecão. A retomada deste patrimônio deve-se em grande parte à mobilização da comunidade universitária e seus movimentos sociais que, desde o ano passado, antes mesmo da reintegração do terreno e do prédio à UFRJ, discutem formas de utilização acadêmicas e culturais públicas para o local. Por esse motivo, perguntamos aos candidatos:Em sua gestão, qual será o destino do ex-Canecão e como será feita a administração deste patrimônio da universidade pública?Cada chapa teve até mil caracteres (com espaços, no contador do word) para formular sua resposta.


Alcino Ferreira

A UFRJ e a Cidade do Rio de Janeiro guardam uma grande diversidade de manifestações artístico-culturais que necessitam de mais espaços para se expressarem. A conquista do espaço “Canecão” depois de anos de luta é uma vitória que permite colocar em prática programas de arte/cultura e lazer para todos, integrando atividades acadêmicas/artísticas/culturais.
A licitação pode vir a excluir uma excelente oportunidade de participação no debate e na produção intelectual da cidade ao repassá-la a terceiros. Concordo com a proposta apresentada pela comunidade universitária de uma administração compartilhada mas creio que toda a universidade deve participar dela. Sua coordenação deve ser do Fórum de Ciência e Cultura. No curto prazo, talvez tenhamos que usar aquele espaço e o do Bingo como solução provisória para problemas decorrentes de atrasos em obras. No longo prazo precisamos ter uma estrutura de administração de eventuais recursos obtidos que pode ser definida desde já.



Godofredo Neto

Por anos a UFRJ lutou pela reintegração do terreno ocupado pelo Canecão ao patrimônio da nossa Universidade. Isso só foi possível porque a comunidade universitária se mobilizou contra a posse que privilegiava uma minoria e que benefício algum nos trazia. 
Devolver a gestão deste espaço à iniciativa privada sem nenhuma consulta prévia a sua comunidade constitui um desrespeito e um grande retrocesso administrativo, cultural, político e social. 
A UFRJ forma excelentes artistas nas mais diversas modalidades da arte e no entanto não possui um teatro, um cinema, uma galeria, enfim, um local apropriado para que o artista possa praticar o que aprende em sala de aula.
É a grande oportunidade de mostrar que a UFRJ é também referência em arte e cultura podendo perfeitamente trabalhar com artistas de renome nacional e internacional.
Este patrimônio deverá ser administrado pela UFRJ, utilizando-o como espaço reversível, acadêmico multidisciplinar e cultural.

Carlos Levi


A Universidade Pública deve ter compromissos firmes e sensibilidade para orientar suas ações, enxergando de forma ampla os legítimos interesses públicos.
O Canecão se firmou ao longo de todo esse tempo como uma casa de espetáculos, totalmente identificada com a Cidade do Rio de Janeiro, reconhecida e prestigiada pela população carioca.
O legítimo retorno do imóvel ao patrimônio da UFRJ não extinguiu esta marca, nem anulou as expectativas da população de recuperar o uso daquele espaço como casa de shows. Cabe, portanto, à UFRJ encontrar um caminho, e a atual Administração já está mobilizada nesse sentido, que viabilize a sua utilização tradicional como casa de espetáculos e, ao mesmo tempo, garanta o seu uso para apoio às iniciativas de interesse acadêmico da UFRJ, incluindo também atividades educativas a serem disponibilizadas à população, em geral.
De qualquer forma, há necessidade de se enfrentar a responsabilidade de se pensar um projeto, mais amplo e de maior fôlego.

Um comentário:

angelo disse...

A reintegração do Canecão a UFRJ foi uma vitória do seu corpo social. A segunda etapa dessa luta é administrar uma casa de espetáculos que ganhou a "cara do Rio", e que se transformou num pólo de atração turistíca para o Estado. O Canecão não pode ser mais uma fonte de despesas para a UFRJ. Qualquer atitude precipitada e irresponsável colocará a sociedade contra a UFRJ. O Canecão pode gerar recursos para criação de um fundo de assistência estudantil para estudantes carentes.
Angelo C. Pinto